Um pouco sobre Kimi e Sebastian

MAURO DE BIAS [@MaurodeBias]
de Bolonha 

Pois é, o acordo com a Williams subiu no telhado. Kimi Raikkonen pediu participação acionária na equipe, Frank fez bico, a Renault (futura Lotus) ficou na espreita, foi lá e assinou com o finlandês.

Então é isso, Raikkonen está de volta. Mantenho o que eu disse sobre ele quando escrevi sobre o provável acordo com a Williams. E Jean Alesi deu a chave da questão ao elogiar a contratação do finlandês hoje: “O bom do Kimi é que ele tira o máximo de um carro rápido. Quando o carro estava bom na McLaren e na Ferrari, ele estava sempre vencendo”.

Reparem que ele não disse que o Kimi é um grande líder, que é motivador da equipe, que é obstinado, não. Raikkonen é rápido, sim, indiscutivelmente, mas só o é quando tem um carro bom. Alesi só confirmou o que eu já tinha dito aqui. Quando o carro está bom, Kimi vence. Quando não está, não vence e também não faz nada para que o carro melhore.

A postura que Raikkonen sempre mostrou nas equipes pelas quais correu me lembra muito a de Sebastian Vettel. Só que ao contrário. Após o problema no câmbio que teve durante o GP do Brasil (suspeitas de marmelada à parte), o alemão fez questão de acompanhar o trabalho dos mecânicos para saber o que havia acontecido. Ficou até tarde no autódromo vendo o desmonte de sua caixa de câmbio, a medição da pressão do óleo e essas coisas.

Vettel mostrou uma obstinação workaholic que poucos pilotos têm. Desculpem a comparação, mas me lembrou Senna. O Ayrton, claro. E no GP de Abu Dhabi, o bicampeão também teve uma postura admirável. Depois de abandonar a corrida por causa de um furo no pneu, Vettel acompanhou toda a corrida a partir do pitwall. E foi elogiado pela equipe.

Por isso e, obviamente, pelo superlativo talento que tem, acredito que ele ainda vai tão longe quanto Michael Schumacher. Não, ele não é o “novo Schumacher”, ele é Sebastian Vettel e ponto. E daqui a alguns anos vamos nos entregar a sangrentos debates para saber se o melhor de todos os tempos era Vettel, Schumacher ou Senna.

Não gosto de domínio de pilotos ou equipes e acho que a F1 fica muito prejudicada quando só uma pessoa ganha tudo. Mas é muito bom ver um piloto como Vettel em atividade. Já do Kimi, não posso dizer o mesmo.

Tags: , , , , , , , ,

4 respostas para Um pouco sobre Kimi e Sebastian

  1. “Não gosto de domínio de pilotos ou equipes e acho que a F1 fica muito prejudicada quando só uma pessoa ganha tudo. Mas é muito bom ver um piloto como Vettel em atividade. Já do Kimi, não posso dizer o mesmo.”

    Não me refiro ao Vettel aqui pois desmerecê-lo seria de uma burrice sem tamanho. Mas o Raikkonen especialmente antes da Ferrari era um cara super combativo. O apelido de Iceman é perfeito pro temperamento, mas até 2006 não condizia com a pilotagem dele. Correndo pela Renault, não tem a frustração, o carro é mediano e pronto. Quem sabe com um tempinho esfriando a cabeça e sem a pressão de ser campeão ele não volte a ser um piloto mais próximo daquele que escalava o grid todo como em 2005. E se for combativo, além do carisma acidental que ele tem (sempre liderava as pesquisas de popularidade da categoria), só vai ser positivo pra categoria.

  2. Marques disse:

    Me parece que a sua vontade em não ver Raikkonen na categoria é pelo fato das chances do Barrica terem diminuído. Tomara que Raikkonen tenha um bom retorno. Essa geração tem vários pilotos de ótimo nível, e Kimi é mais um para a lista.

  3. Luís Felipe disse:

    O Alesi não disse que o Kimi só ganha quando tem um carro rápido. Ele disse que, com um carro rápido, ele ganha sempre.

    Essa história de que ele só ganha com um carro top é coisa SUA. E sua má vontade impede, inclusive, que você lembre que ele ganhou corrida com aquele carro bizarro da Ferrari de 2009…

  4. Marcelo disse:

    Pra mim o Senna nunca foi um líder nato, ser líder enquanto tem carro de ponta para ser campeão é fácil(ele nunca desenvolveu motor ou chassi, fez 15 poles em 85/86 graças ao espetacular motor de classificação que tinha 100 cv a mais que os rivais). Na Mclaren já pegou o carro PRONTO pra quebrar recordes(Schumacher foi o contrário trabalhou no carro para conseguir recordes). Se a Mclaren dominou em 88/89 tudo é graças ao trio Prost-Murray-Nichols, Senna nunca foi campeão com um carro desenvolvido por ele. Senna era esforçado mas de capacidade de desenvolver carros bem limitada, quando viu que na Lotus nunca seria campeão o que fez? Foi correr na melhor equipe da época, a Mclaren que vencia tudo nos anos 80. E o que Senna fez quando viu que o carro Mclaren não o levaria mais ao título? Novamente foi para a melhor equipe da época, a Williams que vencia tudo nos anos de 92/93, mas em 94 quando viu que o carro não era mais imbatível, o que Senna fez? Chamou o carro de porcaria, mas D.Hill ainda novato venceu várias corridas com ele em 94, até disputou o título, teve ajudinha da pachecada inglesa da FIA, mas o carro não era esse desastre que o “heroi” nacional disse. Depois Senna foi desesperadamente ligar para o Prost para pedir ajuda. Prost pouco disse como quem queria dizer:

    “Vc não é o Senna, se vira”

    Só pra lembrar, quando percebeu que Senna estava sendo favorecido na equipe, e era ele Prost quem desenvolvia tudo no carro, o francês disparou a R.Dennis:

    “Ele vai tirar férias enquanto eu fico desenvolvendo o carro? Estou indo pra Ferrari, nunca mais pilotarei uma Mclaren, quero ver quem vai desenvolver o carro no futuro e dar estabilidade a equipe”

    Senna era obestinado, ficava horas nos boxes, mas não era conhecido como um grande líder capaz de levantar uma equipe quando a mesma estava em baixa, isso ficou bem nítido nos anos de 92/93, com a saída de Prost a Mclaren passou a ser de um piloto só, Senna era o número um, os companheiros sequer existiam(ocorreu o mesmo na Lotus e Williams), e Berger muitas vezes foi capacho na pista não atacando o brasileiro para não tirar pontos, isso também caracteriza jogo de equipe.

    Schumacher sim mostrou o verdadeiro espírito de liderança na Benetton partindo lá de baixo(terceira força), depois chegou ao domínio em 94/95. Depois trocou essa mesma equipe que vencia tudo para correr em uma Ferrari que só dava vexame, logo venceu 3 corridas em 96(a Ferrari entre 91 e 95 só venceu 2 corridas), em 97/98 disputou títulos, venceu várias corridas com carro inferior, não foi campeão, mas disputou os títulos com um carro que não era o melhor do grid, o que não é pouca coisa. Depois chegou ao domínio nos anos 2000 graças ao trabalho desde 96. Depois do avassalador domínio em 01/02 só restou a FIA mudar radicalmente o regulamento para 03, e o que aconteceu? Schumacher não fez mimi, trabalhou duro e no meio da temporada já era líder na tabela, acabou campeão sob um regulamento feito contra ele(Senna dependeu do regulamento para ser campeão em 88). Depois novamente dominou a temporada de 04, e o que a FIA fez? Novamente mudou o regulamento, dessa vez deu certo e a Ferrari caiu muito de nível técnico, mesmo assim Schumacher não ameaçou sair da equipe, muito menos abandonar a F1, com um carro limitado chegou em um belo terceiro lugar na tabela, mostrando evolução. E advinha quem estava novamente disputando o título de 2006? Ele Schumacher. Não foi campeão, mas mostrou ao mundo sua capacidade de liderança nas horas difíceis, em 06 venceu 7 corridas e colocou a equipe novamente no topo, pronta pra ser campeã em 07, e se ficasse na F1 em 07, ele seria o campeão e não Kimi. Se o filandês conseguiu o título, muito é graças ao trabalho de Schumacher em 06, e sem Rubinho do lado, provando que era ele quem fazia a diferença na equipe.

    Esse é o verdadeiro espírito de liderança, quando a equipe esta no sufoco, aparece o piloto para erguer a equipe(Senna fez o maior carnaval em 92 ameaçando sair da F1 porque não tinha carro para ser campeão, só rindo). Vencer título é importante, mas ERGUER uma equipe acho que tem até mais valor, isso Schumacher conseguiu em duas equipes. Não foi o caso de Senna, depois da frustração na Lotus, ele só queria pilotar o melhor carro da época, se Senna era tão bom, porque não ficou na Mclaren em 94/95/96/97 e levou a equipe novamente ao título? A equipe venceu 5 corridas em 93, não tinha motivo para mudar de equipe, a Mclaren tinha recursos para voltar ao topo, bastava melhorar o carro, Senna preferiu correr novamente com o melhor carro da época, a Williams. Se ele ficasse na Lotus em 88/89/90/91 e Mclaren em 94 em diante, nunca chegaria ao título, pois nunca conseguiu levar uma equipe inferior ao sucesso dos títulos, muito menos ao domínio, e a Mclaren em 92/93 sequer era terceira força, era a segunda melhor equipe do grid, e o que Senna fez? Deu um belo pé na bunda da equipe.

    Obestinação, força de vontade Senna tinha, mas capacidade de desenvolver carros deixou a desejar, só conseguia ser campeão quando pilotava os melhores carros do grid. Mclaren entre 84 e 91 sempre foi a equipe a ser batida, em termos de organização, era disparada a melhor da época, contava com grandes motores, raramente o carro quebrava e não vivia em crises. Senna conseguiu 3 títulos na fase de ouro da mclaren, muito desse sucesso é graças ao Prost que organizou e deu estabilidade a equipe. Senna só sentou e pilotou, quando o carro não era mais bom, em vez de mostrar que era um verdadeiro líder, simplesmente dava um pé na bunda de todos.

    Prost deu risada, porque R.Dennis ficou chupando o dedo…

    Endeusam muito os pilotos do passado, mas Vettel já começa melhor que muitos grandes campeões, assim como Schumacher tem o mérito de começar ganhando dois títulos em equipes que não são Ferrari e Mclaren, começou por baixo e chegou ao domínio trabalhando na Toro e RBR, não dependeu de motorzinho especial com 100 cv a mais que os rivais para fazer suas 29 poles(caso de Senna em 85/86). Não dependeu de regulamento a favor para ser campeão(caso de Senna em 88), e não precisou jogar o carro em cima do adversário para conquistar o segundo título título, caso de Prost 89, Senna 90 e Schumacher 94.

    Vettel é Bicampeão de forma LIMPA, e sem depender de companheiro de equipe para desenvolver o carro(caso de Senna em 88/89). E não adianta dizer que Vettel vence por causa de Newey, no passado os outros campeões também dependeram de grandes projetistas, a lista é longa.

    Clark teve Chapman,63/65
    Gran Hill teve Chapman,68
    Jackie Stewart teve Derek Gardner, 69/71/73
    Rindt teve Chapman,70
    FITTIPALDI teve Chapman,72
    Lauda teve Mauro Forghieri em,75/76/77
    Andretti teve Chapman,78
    PIQUET teve Murray em,81/83
    Lauda teve Barnard em,84
    Prost teve Barnard em,85/86
    PIQUET teve Frank Dernie e P.Head em,87
    SENNA e Prost tiveram Murray-Nichols em,88/89,Senna sequer ajudou no projeto do carro).
    Mansell teve Newey em,92
    Prost teve Newey em,93
    Schumacher teve, Barnard, Brawn e Byrne.

    São vários os casos…D.Hill, Villeneuve, Hakkinen contaram com Newey, em 96/97/98/99. O que eu acho hilário, é que ninguém lembra desses detalhes, só vão lembrar HOJE que Vettel tem um grande projetista…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.