Até o Bahia!

Felipe Paranhos

Pelo visto, esse negócio de misturar futebol e automobilismo pegou mesmo — só não se sabe até quando. Depois de o Corinthians estampar sua marca em equipes da Superliga, da Stock Car, do GT3 e da Truck, e de o Flamengo quase seguir o mesmo caminho, mantendo apenas o carro da categoria internacional, temos um novo representante clubístico no esporte-motor brasileiro.

Acreditem: é o Bahia.

O clube tricolor vai anunciar hoje que o piloto baiano Patrick Gonçalves, campeão da classe Master da Stock Jr. em 2008, vai levar o símbolo do clube no Mini Challenge, campeonato que estreia neste ano em terras brasileiras.

Em tempo: nesta semana, o Bahia pegou um empréstimo de R$ 1 milhão para pagar o 13º — sim, de 2009 — e o mês de janeiro aos funcionários a que devia.

P.S. em 16/03, 13h57: O Bahia informa que o clube não vai gastar nem ganhar nada com a empreitada. Menos mal.

Tags: , , ,

42 respostas para Até o Bahia!

  1. rogerio disse:

    Pelo tom de seus comentarios voce parece que é torcedor do Vitoria!

    Vamos Baea!

  2. Emerson disse:

    HAHAHAHAHAHAHA, o jahia está com salários atrasados até o pescoço!

    Não paga jogadores, não paga funcionários, não paga os fornecedores, não tem nada de dinheiro. Se o Patrick está acreditando que o jahia vai ajudar ele, deve ser muito ingênuo, pois não vai ver um tostão em mãos.

    Um time que já tem 10 anos sem ser campeão de nada não pode ser parâmetro pra nada também. Coitado do Patrick, antigo colega de escola que vai continuar sofrendo…

    • Felipe Paranhos disse:

      O Patrick também não é ingênuo, deve ser uma ideia legal. Se vai dar certo, veremos. ;)

      Mas torço para que dê certo, acho que ele merece mais do que o que teve do automobilismo até agora.

  3. Lucas disse:

    Por que “até o Bahia!”, ou “acreditem, é o Bahia”??? Respeito ao Bahia, meu amigo! Só porque não é um time do “sul maravilha”?
    Não sei se você tem pelo futebol o mesmo conhecimento que tem sobre automobilismo, mas pesquisando um pouquinho, você iria descobrir que o Bahia é bi-campeão nacional, 43 vezes campeão estadual e foi o primeiro time brasileiro a disputar uma Libertadores.
    Quanto aos problemas financeiros e adminsitrativos, eles existem e devem ser combatidos, pois essa diretoria está destruindo o Bahia e destruindo essa história que eu citei acima. Mas não é motivo pra você menosprezar o Bahia, como se ele não fosse digno de firmar uma parceria para estampar sua marca em um carro de corridas qualquer.

    • Felipe Paranhos disse:

      Não sei se você sabe, mas eu sou baiano, moro em Salvador.

      “Até o Bahia” é porque é um clube da segunda divisão. E não estou minimizando o clube por isso. Falei pra demonstrar que o conceito futebol-corridas está se espalhando.

      Acho que tenho bom conhecimento sobre futebol também, porque estudo o assunto como faço com automobilismo. Portanto, o que você me diz não é novidade, até por morar no mesmo lugar que você.

      E convenhamos, Lucas: “essa diretoria está destruindo o Bahia”? Há anos, mais de uma década, o Bahia não tem uma diretoria decente. É um clube que não se atualizou nas práticas e na gestão. E, sobre problemas financeiros, se for nos moldes da parceria do Corinthians com as equipes, em tese o Bahia não pagaria nada.

    • Lucas disse:

      Estranha-me, então, o fato de você ser baiano. Realmente, não sabia desse fato. Quando eu falei da diretoria, cito o grupo que comanda o Bahia e está no poder há mais de 10 anos, como você falou.
      Como baiano e torcedor do Bahia, fico feliz em ver o Bahia adentrar num espaço que é tradicionalmente elitista e sulista. Há defeitos? Muitos! Falta transparência, ninguém sabe os moldes da parceria, o que o Bahia pagará ou deixará de pagar, se irá receber algo, ou não, mas é algo legal ver o Bahia entrar nesse nicho.

    • Peixe Virtual disse:

      Se o Corinthians estivesse na segunda divisão, como esteve recentemente, vc falaria “até o Cointhians” ?! seja franco…
      nen acho q vc fez de maldade, mas pra mim, vc quis sim tirar um sarro do Bahia, nada demais ok, mas vc é baiano, vive no meio jornalístico, e sabe muito bem do preconceito q se tem pelas bandas de cá. a corrida da indy ontem teve trocentos problemas,mas todo mundo disse q podia melhorar, q foi a primeira vez e tal, agora a stock car aqui mereceu condenação sumária de todos os jornalistas “especializados”, fazendo e permitindo chacota nos comentários dos blogs/sites, e vc me vem falar de complexo.

      ah, a imprensa esportiva daqui é ridícula.uma nulidade, mas não tem poder e influência a nível nacional, se diz que estuda futebol, como não enxergar o desprezo,e até deboche q a grande imprensa nacional tem pelo futebol nordestino. qquer jogador meia-boca q faz 2 gols num jogo por um time do eixo é guindado a craque, agora o futebol daqui do nordeste revela tanta gente e eles só dão valor qdo vão p lá(Rivaldo,Bebeto,Dida Hernanes,Jorge Wagner etc etc etc) portanto não é complexo, são fatos.

      • Felipe Paranhos disse:

        Talvez falaria, ué. Se não falasse, seria porque o Corinthians é maior e sempre teve muito mais representatividade do que o Bahia. Portanto, se um dos realmente grandes cai, sabemos que é provisório. Não foi o caso do Bahia.

        O GP da Indy em São Paulo foi uma piada. É só ver o que os blogueiros do Grande Prêmio falaram sobre ele. Felizmente, conseguiram melhorar aquele que era o pior problema do circuito a tempo — o que não aconteceu com a prova da Stock aqui, que foi ridícula do início ao fim.

        Sobre a grande imprensa esportiva não dar muita atenção ao que acontece aqui, é por motivos óbvios: porque os campeonatos do Nordeste são uma porcaria. E, como o nível técnico das equipes daqui é horroroso, um cara que se destaca no Bahia ou no Vitória não pode ser ainda julgado como craque ou algo do tipo — simplesmente porque não joga com equipes de qualidade.

        Desses que você falou, nenhum é recente. JW saiu do Bahia em 2001. O Hernanes não conta, saiu do Unibol com 14 anos. Daniel Alves foi o último jogador de bom nível a sair daqui. Em 2003. Talvez entre nesse rol o David Luiz, do Benfica. Quer um exemplo de jogadores que saíram do Nordeste como futuros craques e se revelaram flops?

        Eduardo, saiu para o Botafogo
        Willians, agora no Fluminense
        Marquinhos, Palmeiras
        Leandro Domingues, quando saiu para o Cruzeiro
        Apodi, idem
        Carlinhos Bala, idem

        Tem mais, é que eu não lembrei de outro. Enfim, acho que a atenção dispensada pela grande imprensa ao futebol nordestino é proporcional à força que tem.

        • Peixe Virtual disse:

          Na boa, não gosto dessas discussões pela net,é q achava q vc tinha a mente mais aberta, por ser jornalista de automobilismo q é um mundo tão diferente, mas em suas palavras percebe-se uma falta de laços e uma certa mágoa com seu estado/região, vc é incapaz de falar algo positivo,apenas quis dizer o qto a mídia sulista distorce certas coisas, e vc quis me provar por a+b q o nordeste é mesmo inferior.

          1-Qdo o Bahia caiu era sim dos grandes , e ninguém sabia q ia ficar tanto tempo assim, hje se apequenou com essa corja Fdp q não larga o osso,,mas merece respeito pela historia e torcida q tem.ou será q não E merece ser tratado como um paulista de Jundiaí?

          2-O GP Bahia foi ruim,ok, mas ninguém na imprensa disse q poderia/deveria melhorar no próximo ano, foi uma condenaçao sumaria, “é horrivel e pronto’,desafio a mostrar matéria da época falando o contrario. já com Sampa, todo mundo tem paciência né, pq ninguém disse”poxa gente, os baianos tiveram pouco tempo p fazer a pista,foi a primeira vez,tem q se relevar” como fizeram com SP.
          3- Ué, e os times daqui Só jogam entre eles é,não jogam copabrasil/brasileirao não é?!
          4- O futebol daqui caiu muito, mas qdo era melhor não foi diferente, se tiver de 29/30 anos p cima, lembrará q em 88 a imprensa sulista torcia o nariz enquanto o Bahia atropelava todo mundo, torciam contra, faziam chacota, davam descrédito, mas não adiantou, Bahia campeão. Ano passado foi o mesmo com Sport na copa Brasil, chega o Cleber machado narrou os gols do Sport sem animo, visivelmente abatido e constrangido, youtube ta aí p mostrar isso,qto a 88 pergunte a algiém maIS velho se for o caso, em 93 foi o mesmo com o vitoria, falaram mal o tempo todo,só ficaram aliviados qdo perdeu a final.
          5-e qtos flops existem lá hein, e eles continuam incensando, ou vai me dizer q lá só tem craque, lembra do Lenny q fez 3 gols num jogo e já era craque p eles, KD ele agora? E esse outro guri do fluminense agora, q só jogou uns 3 jogos e já acham q é craque.fala serio. Tem muito meia-boca lá q eles botam lá em cima. Em 2002 haviam 4 baianos campeoes do mundo. em 94 eram 2. sem contar de outros estados nordestinos, talento natural temoS, só falta a grana p investir.

          6-chega,( gostaria q respondesse pelo menos a 2,4,5) não leve a mal, apenas esperava mais de um jornalista esportivo local q trabalha em nivel nacional, pode ficar torcendo p flamengo,e achando q nada no seu estado/região presta. Afinal quem paga os seus salários são de lá né. Desculpa o incomodo,fiq tranqüilo q não venho mais aqui incomodar. temos pontos de vista muito diferentes.

          • Felipe Paranhos disse:

            Na maioria dos lugares, nem discussão há. Você, como leitor, comenta, e o cara só aprova, nem lê o que você escreve. Aqui eu converso com quem comenta. Agora, porque eu discordei de você, você fala essas besteiras. Besteira, por exemplo, é dizer que eu acho que nada aqui presta. Por um ou outro ponto de vista diferente. Se quiser voltar, sinta-se à vontade.

          • rogeio lessa disse:

            Rapaz, aquele time de 88 foi crucificado pela imprensa sulista o tempo todo mas eles arrebentaram. Eu vi todos os jogos daquele ano na Fonte Nova. Público medio de 50.000 pessoas. Adorei o Bahia meter 3 no Santos, 2 no flamengo…e por aí vai.
            Que time! Ronaldo, Zé Carlos, Zanata, Osmar, Claudio Rodrigues, Bobo, Sandro.

          • Felipe Paranhos disse:

            Grande time. Vi alguns jogos em VT, não era “gente” àquela época. Passou, infelizmente.

    • rogeio lessa disse:

      É isso aí Lucas, respeito ao Bahia!

  4. Peixe Virtual disse:

    “Até o Bahia”
    “Acreditem: é o Bahia”

    Ué, o q tem de tão estranho nisso, porque escrever desse jeito como se o Bahia fosse um clube minúsculo éxótico ,ah, sei é o tal do preconceito, ué, mas o repórter não é baiano? ah sei, é o tal do complexo de colônia então,

    agora a porteira está aberta para os preconceituosos(e invejosos) do sul maravilha virem aqui destilar seu veneno contra o Bahia, a Bahia e os baianos, e isso tudo aditivado por um repórter baiano.

    Já tô vendo a lição de moral na resposta, mas mesmo assim, não me convence!

    • Felipe Paranhos disse:

      Não, Peixe Virtual. “É o Bahia” é porque é um clube de segunda divisão. É um clube que não se dedica ao futebol direito, quanto mais. Minhas palavras dizem respeito ao fato de que o conceito futebol-corridas se espalhou. E só a isso.

      A propósito, acho que o torcedor baiano tem complexo de inferioridade em relação à imprensa. Tudo é um “a imprensa sulista isso”, “a imprensa do eixo aquilo”, como se aqui toda a imprensa esportiva fosse qualificada e plural.

      E ninguém aqui vai destilar preconceito. Se o fizer, eu reprovarei o comentário, como faço sempre que alguém é excessivamente ofensivo.

  5. Robert Abe disse:

    Ridiculoooo!!!
    Da ate vergonha ser torcedor do Bahia…

  6. Harlan Rodrigo disse:

    Bora Baêa minha porra!!

  7. Luis Peres disse:

    Porque: até o Bahia? Até parece que os “gigantes” do sudeste mencionados não devem a ninguém. Outro dia, teve um com a energia cortada. O outro vive fazendo acordo trabalhista e ressuscitando jogadores. É melhor ser notícia por isso do que por envolvimento com drogas ou travestis.
    Quando é do sul maravilha: é ação de mkt! Quando é do nordeste é exótico ou absurdo.
    Já se esqueceu o fluminense estava com dois meses de salário atrasados e por isso ta vendendo jogador a preço de jaca?
    Quanto aos torcedores do vicetorinha da BAHIA que estão enviando mensagens, é melhor eles cruzarem os dedos, pois, estão na lanterna e perderam até para o Bahia genérico formato anões!

  8. Davi RIbeiro disse:

    O Bahia não consegue ganhar um título há oito anos! Oito anos sem ganhar nem par ou ímpar! E que investir em automobilismo! Falem sério! Desse jeito vão ficar 80 anos sem ganhar nada! Faz-me rir!

  9. Paulo Gomes Filho disse:

    Amigo,

    Soou extremamente pejorativo e preconceituoso a frase: “Até o Bahia”.

    Você deveria ter utilizado a força da torcida tricolor para canalizar fiéis leitores para o seu blog e não antipatizantes…

    Se a intenção foi tecer uma crítica à história administrativa do clube, você deveria ter sido mais direto…

    Ofendeu uma grande torcida e um grande clube…

    Ofensas gratuitas não levam a nada apenas questionam sua capacidade jornalística e imparcialidade.

    Abraços!

    • Felipe Paranhos disse:

      Já expliquei o porquê da utilização da expressão. Se você puder ler os comentários, saberá. E dizer que houve ofensa é uma piada.

      E já disse que não quero força de torcida nenhuma aqui. Quero leitores interessados, seja que camisa vistam. Que discordem de mim, também.

      Sinto muito, amigo. Minha capacidade de fazer jornalismo continua intacta. Imparcialidade? Aqui é um espaço de opiniões, portanto, têm lado.

  10. Romeu disse:

    coitado…mais um baiano torcedor do flamengo…
    No Sudeste, eles sacaneiam os nordestinos, chamam de sub-raça, chamam de cabeça de joelho…e ainda torcem pro nosso time.

  11. Marcus disse:

    Caro Felipe,

    infelizmente seu comentário é recheado de preconceito e desinformação. O seu posicionamento desrespeitoso para com um clube de futebol que possui uma imensa nação de torcedores fiéis e campeões em arquibancada, não merece qualquer repercussão positiva.

    Não é qualquer mania de perseguição ou algo parecido, é somente uma contestação derivada tanto do seu post, quanto das suas respostas.

    Me desculpe, mas você perdeu uma excelente chance de estimular a participação do torcedores do Bahia em seu blog. Não precisava elogiar uma administração bastante criticada pela torcida, bastava RESPEITAR uma instituição que infelizmente passa por uma dificílima situação.

    • Felipe Paranhos disse:

      Não, não é. Não tenho que estimular a participação de torcedor de time nenhum. Expus apenas uma opinião.

      É justamente porque eu respeito a instituição Bahia que faço tais comentários. O Bahia não merece estar onde está e ser como é hoje.

  12. Luis Peres disse:

    Sr. Felipe Paranhos.
    Prefacialmente peço desculpas por ter retornado a seu blog, mesmo que por equivoco, sinceramente cliquei errado,. Tão errado quanto o nível das discussões originadas em seu texto eivado de preconceitos.
    Notei que a medida que os post”s chegavam, tanto os comentários dos leitores e as respostas proferidas por V.Sa. se esvaziavam mais em nível e conteúdo.
    Particularmente, sou defensor incondicional da liberdade ideológica e da expressão extrema do pensamento, nem que para isso precise impor o que penso.
    Não nos esqueçamos que o leitor é consumidor e, portanto, demanda cuidados no trato. A ele é permitido paixões e ignorância, as vezes derivada da cegueira causada pela primeira.
    Num olhar absurdamente preconceituoso, realmente parece que o nordestino sofre de alguma espécie de esquizofrenia. Mas, isto tem uma explicação:
    1- O sudeste concentra quase toda a riqueza do país.
    2 – Ainda lá, ficam as cabeças de rede da mídia, concentradoras e geradoras das informações
    3 – A União, até por uma série de motivos, investe a maior parte de seus recursos lá.
    4 – …
    Bem! eu poderia chegar há umas mil argumentações!
    Porém vou me ater a algumas:
    Como pode algum clube fora do sul “maravilha” se desenvolver sem ter espaço na mídia ou, quando tem, é tratado de forma pejorativa ou exótica pela imprensa “entendida”(??). Me desculpe o tratamento, mas você investiria num clube assim? Como é triste ver, por exemplo, crianças baianas torcendo para o São Paulo, Santos, etc. pelo bombardeio de transmissões e informações de clubes alienígenas.
    Retiremos de pauta a discussão sobre a incompetência, desonestidade ou até a subserviência de alguns dirigentes esportivos locais, que não se respeitam e não buscam a isonomia no tratamento midiático ou a proibição de jogos de clubes alheio aos estados. Quem sabe assim, não reduza o abismo hoje existente. A preferência e sobreviver com as esmolas definidas lá no sul.
    Observemos, amiúde, o reiterado massacre informativo que destrói sistematicamente nosso esporte, nossa cultura e agora, de forma sub-reptícia até o nosso carnaval, “demonstrando” as maravilhas do carnaval deles. Já se viu muito disso na política: Josef Goebbels, ministro da propaganda do Reich de Hitler, por exemplo, dizia que uma mentira dita várias vezes ela se torna verdade! Não será por isto que hoje existe uma guerra entre as Redes de TV? É a guerra pelo poder e domínio do pensamento.
    É verdade também que a prova de Stockcar na Bahia não foi boa. Também a formula Renault. Mas, não será porque o estado não tem recursos para construir um autódrodromo internacional, abandoná-lo, reformá-lo, destruí-lo para a construção de equipamentos esportivos, que serão abandonados também, demolidos para a construção de novos com apenas quatro anos. Ah! Eles podem.! Querem todo o dinheiro do país. O presidente do COB está se envolvendo até na distribuição das verbas do pré-sal! Ah! Eles podem.!
    Já fui, AO VIVO, em GP’s da F-1 tanto no Rio quanto em São Paulo e vi corridas que quase não acabaram por falta de condições mínimas.Mas, Ah! Eles podem.! Nesse caso, eu procurei reconhecer o esforço dos organizadores e procurei minimizar os equívocos
    Automobilismo, Pan-americano, sul-americano, campeonatos mundiais, até de cuspe a distância, futebol, pelota basca, carnaval, copa do mundo, tudo bom é lá! tem que ser lá! Nos cabe apenas assistir pela TV, trabalhar para consumir os produtos anunciados fabricados lá, feito verdadeiros imbecis! Você realmente acredita nisto?
    Realmente sou tricolor! Mas, isso tão verdade quanto você foi pejorativo e depreciativo em sua curta matéria. Alias, espero que ela tenha sido curta apenas por falta de vontade. Contudo tenho certeza que se fosse a cor da unha da manicure da namorada de Adriano merecesse mais espaço nessa mídia. Repito: Ainda bem que a breve nota sobre o “diminuto, humilde e sem necessidade de respeito” E. C. Bahia não foi por envolvimento com travestis ou drogas! Mas, Ah! Eles podem, é legal!
    Dívidas? Quase todos os clubes brasileiros tem! Senão vejamos: Seu clube, o flamengão, é “ÃO” nas dívidas também. O grande campeão. E como contrata, hein? Mas, Ah! A NAÇÃO MERECE, O MANTO S…, Que piada! A situação do palmeiras, botafogo, vasco, fluminen…Voce foi pesquisar? A do Bahia você sabe!
    É! iSTO POSTO, ATÉ O BAHIA , SIM!
    Caro “blogueiro” Felipe Paranhos: não se destrói a casa onde se vive! Tenta-se melhorá-la e ergue-la. CONVIVENDO COM AS DIFERENÇAS. O que é pior: o pagode baiano ou funk carioca?
    Sou do tempo de ir ao estádio acompanhado de torcedor do nosso maior adversário local (Eu conhecia um. Juro! é verdade! Acredite! Eles existem!) e, no final tudo terminava em festa, gozação e brincadeira. Diferentes dos rancores impostos de agora.
    Este inútil comentário, juntamente com seu link, será publicado em meu blog http://www.bahiaclub.blogspot.com , sou apenas um iniciante aprendiz no ramo. Contudo, tenho o direito de pensar, sem influência alheia.

    @LuisPeres5 – Amante do futebol e de automobilismo e torcedor do Bahia

    • Felipe Paranhos disse:

      Você faz várias ilações sobre supostos pontos-de-vista que eu teria. Erroneamente.

      Veja o que é a liberdade de expressão e pensamento: eu acho que você escreveu milhares de besteiras regionalizantes. Sugeriu que eu acharia legal o envolvimento de um jogador ou de um clube com drogas (com transexuais, que mal há? Se alguém gostar, tem todo o direito) e outras coisas mais. Ainda assim, tem seu imenso comentário publicado aqui, para que outros, se concordarem ou discordarem de você, também se manifestem.

      Mas eu não fiz nenhum tipo de consideração maldosa sobre você…

  13. Francisco Luz disse:

    Boa, Felipe. Clubes falidos investirem em futebol é vergonhoso, mesmo.

    O pior é ver os torcedores reclamando de “desrespeito”, “mexeu com uma nação”, etc, e ninguém comentou a última frase do post, sintomática do que é o Bahia hoje.

    Lamento, amigos, mas 1988-89 não vai voltar por causa de xingamentos gratuitos em um blog.

  14. Vinícius disse:

    Sou gaúcho, torcedor do do Grêmio, mas tu deveria ter vergonha na cara ser baiano e torcedor do Flamengo, esse pessoal do Sudeste ficam chacoteando nós sulistas e principalmente vcs que é nordestino e ainda torcem para os times do eixo do mal (rio-sp). Tenha vergonha na cara.
    Em relação ao Bahia, penso que cada clube tem a sua política de markenting, não sou muito favorável a essa política, pois futebol é futebol e automobislismo já é outro departamento, não se misturam.

    • Felipe Paranhos disse:

      Primeiro que eu tenho família no Rio. Segundo, as pessoas torcem pelos times que quiserem, deixem de ser ridículos. Se alguém resolver torcer pelo Chelsea, saber tudo da história do clube, viajar à Inglaterra sempre que pode para assistir aos jogos, quem vai ser homem de dizer que o cara não deveria torcer? Paixão é paixão, amigo.

  15. Luis Peres disse:

    Sr. Felipe Paranhos.

    Gostaria apenas de deixar claro, que no meu texto em nenhum momento eu questionei as preferências sexuais de quem quer que seja, cada um sabe do gosta. Tão pouco as relações com o crime organizado e seus produtos, cujas informações “explodem” nos noticiários ultimamente. Me referi a forma, digamos “fofinha” como tratam determinados assuntos e como ironizam outros. Dando nomes, o jogador Adriano por exemplo, envolvido em vários escândalos policiais nos últimos dias vive aparecendo em programas de televisão, numa ação de amigos e fans, dizendo que vai casar e quase recebendo de antemão o arroz da festa em horário nobre.
    Também, se não achasse que o espaço era, pelo menos, democrático, não teria perdido meu tempo em lhe escrever aquele texto quase do tamanho de “guerra e paz”.
    Besteira todos nós falamos! As vezes tiramos diploma e somos até pagos para isso!
    Não discuti o conteúdo do seu texto, apenas a forma! Alias, o que me chamou a atenção foi esta forma como você responde a quem lhe dá audiência e não concorda com o conteúdo. Note que eu tratei especificamente da mania de perseguição, principalmente, do NORDESTINO! QUE É SIM tratado com um ser inferior no sul do Brasil e precisa ralar muito para provar seu valor.
    Portanto, reitero, que não falei de sua pessoa ou de suas opiniões, nem da sexualidade de ninguém. Sobre drogas: sou radicalmente contra mesmo! Más, cada um é que sabe!
    E como disse antes, postei o texto no meu humilde blog e coloquei o seu link para que haja a contradita!

    • Felipe Paranhos disse:

      Tá todo mundo noticiando esses episódios do Adriano e do Vágner Love com traficantes à exaustão. Não sei onde você viu fofura.

      Talvez no mundo encantado dos que veem o nordestino como eterno inferiorizado — e isso costuma servir de desculpa para tanta coisa…

  16. Alcaide disse:

    Prezado Felipe Paranhos. Sou fanático torcedor dogGlorioso Esporte Clube Bahia, fanático ao ponte de tê-lo com único time de futebol, ou seja, sou fiel ao clube. Mas não sou louco de ficar aqui apoiando tudo que a “besta” do atual presidente, o Sr. MGF (sic) anda fazendo. Melhor seria ele sair do clube e redemocratizar a forma de eleição. Mas, como o presidente do Senado, prefere morrer engasgado a largar o osso. Entrará para a História do clube como aquele que jogou mais uma pá de cal no defunto chamado Bahia. Assim repito: FORA MGF, FORA CACHORRADA.
    Bora Baêa, Baêa minha vida, Baêa meu amor…

  17. Felipe disse:

    Tenha certeza que o Governo da Bahia está envolvido… Não só pelo fato do governador ser tricolor mas também pelo incentivo turístico que faria da Bahia no Sul-Sudeste.

    • Felipe Paranhos disse:

      Ainda não apurei isso, mas a grafia do nome “Bahia!” na carenagem do carro é semelhante à utilizada pela Secretaria de Turismo do Estado. É possível.

  18. Peixe Virtual disse:

    Chega a ser engraçado p não falar outra coisa, como vc defende com unhas e dentes q nao existe preconceito da imprensa do eixo sp-rj para com o nordeste, q o preconceito sao os nordestinos q acham q existe, fala serio, entao como vc explica o fato de q mesmo com bons times e disputando títulos, bahia88/vitoria93/sport2008 foram aLVO de criticas,desrespeito e desprezo pela mídia do eixo, a ponto de ter dado até briga e mal estar na band ano passado na final da copabrasil ,nao teve argumento p responder né,

    existem exageros por parte da turma de cá, existem,claro, mas daí a dizer q nao existe preconceito, q é complexo e coisa e tal, é no mínimo falta de senso
    só falta dizer q nao existe racismo nen homofobia, como muita gente diz por aí inclusive, e geralmente esses sao os mais preconceituosos,

    • Felipe Paranhos disse:

      Essa “briga e mal estar” foi um episódio protagonizado pelo narrador de lá, que falou mil besteiras e mentiras. E depois fingiu que nada aconteceu.

      A transmissão da Globo na final da Copa do Brasil foi, sim, lamentável e torcedora. Os gols do Sport eram narrados como gols argentinos em um Brasil x Argentina.

      O que eu tô dizendo é que dizer que são preconceituosos “a mídia”, “a imprensa”, “o eixo”, “o Sudeste”, “o Sul”, é uma babaquice generalista. Existe preconceito, mas não é geral. Existe narração desequilibrada, mas não é geral. A cobertura da grande imprensa esportiva em geral é justa com o tamanho do futebol daqui e de lá, já disse.

      Peixe, essa discussão já deu o que tinha que dar. Vamos partir pra outra?

  19. Pedro Fetter disse:

    Que as correias de mil motores enforquem os dirigentes dessas idéias idiotas de botar time em carro. Some com o nome do piloto, ofusca a categoria e envergonha os fãs de verdade…

  20. Emerson disse:

    Patrick até merecia coisa melhor, mas como isso vai ser benéfico pra ele? O jahia está falido, quebrado, não paga ninguém! Se não vai pagar a ele, o que ele ganha cedendo o espaço de um patrocinador?

    Esse negócio de misturar automobilismo com futebol não vai dar certo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.